Mapa de Calor
01 jul 2021

Mapa de Calor

Até uma obra de arte como a “Mona Lisa”, de Leonardo da Vinci, pode ser vista à luz de um mapa de calor.

No caso, este mapa de calor dir-nos-ia algo que, à partida, até já suspeitávamos: das muitas milhares de pessoas que apreciam o quadro, todos os dias, uma grande maioria vai concentrar-se no famoso sorriso da “Gioconda”.

Ou seja, ao olharmos para aquele quadro, é naquele local em específico que nos concentramos.

Com a devida distância, no marketing digital um mapa de calor oferece-nos o mesmo tipo de informações.

Cumpre o mesmo propósito.

Os seus resultados mostram-nos exatamente onde os utilizadores de uma página de website se concentram e, por isso, ajudam-nos a identificar padrões de navegação e comportamentos dos utilizadores.

A estes pontos de concentração de atividade dos utilizadores damos o nome de “áreas quentes” e é com base na análise desses dados que criamos ou otimizamos estratégias e conteúdos digitais e melhorarmos o desempenho, como um todo.

Neste artigo, vamos explicar tudo o que precisa de saber sobre o mapa de calor, de modo a entender exatamente o que é e como o utilizar para que possa usufruir de todas as suas vantagens.

 

O que é o mapa de calor?

Um mapa de calor (ou heatmap), é o resultado de uma análise feita às páginas de um website. Mostra-nos os pontos onde há mais atividade (ações e interações), por parte dos utilizadores, incluindo clicks ou scrolls na página.

A análise é feita através de softwares específicos que geram relatórios com indicadores para análise e utilizam um espetro de cores que nos mostra onde é que os utilizadores concentraram a maior parte da sua atenção.

Quando percebemos que a maioria dos utilizadores se concentra numa determinada parte de uma página de um website, isso indica-nos que é ali que o conteúdo chama mais a atenção.

Isso é muito interessante, na medida em que podemos avaliar as razões que estão por trás desse interesse e replicá-la de acordo com os conteúdos.

Por outro lado, se percebermos que existem partes da página ignoradas pelos utilizados, o processo deve ser o contrário e a sua análise indica-nos precisamente o tipo de conteúdos ou experiências de utilizador que devemos evitar.

 

Como funciona o mapa de calor?

Ainda que gerado de forma automática, a apresentação de um mapa de calor é feita através de cores que nos indicam as áreas de uma página de website onde os utilizadores passam mais ou menos tempo a interagir com os conteúdos.

Normalmente, as áreas a vermelho são os pontos da página onde a navegação do utilizador foi mais intensa – onde existiram mais clicks, por exemplo, ou na qual os utilizadores passaram mais tempo (a ler, a ver um vídeo, etc.).

Pelo contrário, quando as áreas se apresentam em cores mais frias – normalmente em tons de azul – ficamos a perceber que ali existe uma menor atividade.

Entre uma e outra cor, ou seja, entre o vermelho quente e o azul frio, o mapa de calor apresenta-nos tons intermediários, deixando bastante claro o padrão de navegação dos utilizadores entre os pontos com mais interesse da página de um website e aqueles com menor interesse.

Estes são dados importantes, uma vez que é através deles que percebemos, claramente, quais são os conteúdos com mais interesse para os utilizadores e quais são as zonas de uma página que devemos otimizar, de forma precisa.

 

Importância do Heatmap

No marketing digital, os melhores resultados são obtidos através de estratégias bem definidas que geram resultados e aumentam o número total de conversões.

Um ponto essencial nessa estratégia é, claro, a otimização contínua de conteúdos.

Com os resultados de um mapa de calor nas mãos, podemos avaliar todos os pontos de conversão que existem em qualquer página e posicioná-los de uma forma mais exata, indo ao encontro do comportamento dos utilizadores.

A análise feita aos resultados apresentados pelo mapa de calor permite-nos aumentar os níveis de interação, garantir que os parâmetros de leitura estão adequados à audiência, reduzir o bounce rate e otimizar o conteúdo como um todo, de modo a garantir aos utilizadores a melhor experiência possível.

Os dados que retiramos desta análise são ricos e podem ser utilizados para o aperfeiçoamento dos conteúdos e da experiência, em pontos chave.

 

Qual a função do mapa de calor?

O mapa de calor é uma ferramenta de análise que nos fornece dados e informações acerca da navegação dos utilizadores, numa determinada página de um website.

A apresentação destes dados é, de uma forma geral, a sua função principal, a partir da qual podemos retirar conclusões e otimizar estratégias e conteúdos.

No entanto, estas informações podem ser divididas em três categorias diferentes:

  • Click Maps
  • Scroll Maps
  • Hover Maps

Cada um destes mapas de calor oferece-nos indicadores diferentes para análise.

Um Click Map vai mostrar-nos as áreas do website nas quais os utilizadores mais clicaram. A partir deste momento, é possível avaliarmos a eficácia de todo o tipo de conteúdos clicáveis: desde um botão de CTA colocado bem no centro da página, até à cruz que nos indica que o utilizador a abandou.

Imagine que o mapa de calor nos mostra que os utilizadores parecem estar a evitar esse mesmo botão. Com base nessa indicação, percebemos que aquele é um ponto da página que deve ser, necessariamente, melhorado.

Ou talvez o website apresente um nome tão fora da caixa para um menu tão simples como os “Contactos” que os utilizadores se afastam desse menu. Assim, o que pensámos ser um nome criativo capaz de chamar a atenção parece estar a ter o efeito contrário e, por isso, devemos prestar-lhe alguma atenção.

E se um Click Map nos apresenta as zonas onde os utilizadores mais clicam, então o Scroll Map faz o mesmo, mas indicando-nos até onde é que os utilizadores estão dispostos a fazer scroll.

Estes dados podem ser essenciais para a análise de um blogue, por exemplo. Desta forma, ganhamos um maior entendimento acerca do tamanho dos artigos escritos, indicando-nos que o eventual problema pode não estar na qualidade dos conteúdos escritos, mas antes na sua apresentação e extensão.

Por último, o Hover Map mostra-nos a atividade do cursor do rato, na sua totalidade. Esta análise indicando-nos se os utilizadores exploraram, de facto, o website ou se, por alguma razão, o cursor ficou parado. Ou seja, o utilizador aderiu à página mas, depois, não acedeu aos seus conteúdos.

Estas são informações objetivas que nos permitem analisar o interesse da audiência nas mais variadas áreas de um website.

Enquanto ferramenta de análise, ajuda-nos a compreender o comportamento dos utilizadores e a melhor entender quais as partes do website que podem ou devem ser otimizadas, de modo a melhorar a experiência de navegação, na sua totalidade.

 

Como criar um Heatmap?

Na prática, o mapa de calor é um relatório elaborado de forma automática por ferramentas específicas desenhadas para o efeito.

O comportamento do utilizador é registado, sendo apresentado como a média das atividades de todos os utilizadores que acederam ao website.

Algumas destas ferramentas vão um pouco mais longe, permitindo-nos até a realização de testes A/B ou a inclusão de inquéritos de satisfação acerca do seu comportamento.

Importante no momento de criação de um mapa de calor é também o número total de utilizadores que procuram os seus conteúdos, uma vez que os websites com um maior volume de acessos necessitam, por norma, de um mapa de calor capaz de apresentar indicadores mais específicos.

Esta é uma ferramenta essencial que faz toda a diferença na otimização de uma boa estratégia de marketing digital, capaz aumentar a taxa de conversão e de gerar resultados mais satisfatórios.

Quando desenha um website de raiz ou cria uma estratégia de conteúdos digitais, o público-alvo deve ser sempre o ponto de partida. Tudo o que é projetado leva depois em conta os seus comportamentos e, por isso, deve ser continuamente analisado e otimizado de acordo.

A verdade é que a criação de um mapa de calor não é a parte mais difícil.

A parte essencial é mesmo a análise correta dos dados que lhe são apresentados e que informam sobre qual o caminho a seguir, em cada momento, e lhe permitem otimizar estratégias e conteúdos.

Mas, quanto a isso, pode ficar tranquilo – conte connosco.


Tiago Simonette Teixeira | Bluesoft

partilhe