Blog

Como limpar a cache?
23 outubro, 2018

Como limpar a cache?

Neste artigo prometo ensinar-lhe a limpar a cache nos diversos sistemas operativos e browsers, mas também ensinar-lhe como limpar a cache nos seus equipamentos portáteis, no Android e no iOS (iPhone e iPad).

Selecione o seu browser ou sistema operativo móvel:

Limpar a cache no edgeLimpar a cache no chromeLimpar a cache no firefoxLimpar a cache no OperaLimpar a cache no safariLimpar a cache no androidLimpar a cache no iPhoneLimpar a cache no LinuxLimpar a cache no Ubuntu

 

Limpar a cache?

Porque devemos limpar a cache?

Para consultar uma página web e termos a certeza que estamos a ver a sua versão mais recente e totalmente carregada no momento, é necessário limpar a cache para evitar que o seu browser (navegador da internet) mostre uma página “pré-gravada” com informações que podem já não corresponder à mais recente versão do website que pretende visitar.

 

Porque é que muitos sites de pirataria na internet aconselham a limpar a cache?

De tempos em tempos os sites sofrem atualizações nos seus serviços e servidores web. Como todos os browsers guardam automaticamente cache e cookies, podemos estar a visualizar sites desatualizados. Se, por exemplo, já visitou um determinado site à algumas semanas atrás, hoje pode ser necessário limpar a cache do seu browser para corrigir alguns problemas de visualização. Limpar a cache pode melhorar significativamente a velocidade e o desempenho do seu browser.

 

Limpei a cache e agora?

Agora o seu browser está significativamente mais rápido e com um desempenho superior, além disto, todas as páginas de internet que visitar depois da limpeza da cache estarão completamente atualizadas. Este passo é fundamental para aceder corretamente aos serviços digitais online do Governo, como por exemplo, Portal das Finanças ou Segurança Social.

 

O que é a cache?

A cache é um espaço de armazenamento onde ficam guardados os dados utilizados recentemente, assim como os dados utilizados regularmente na visualização de páginas na internet, isto é, todos os dados de navegação em que existam probabilidades de voltarem a ser usados. 

Todos os browsers utilizam cache, mas existem outros softwares e dispositivos que guardam igualmente cache, como por exemplo as mother-boards (componente que interliga todos os outros componentes num computador/smartphone/tablet).

Neste caso, e para ter uma ideia prática do que é a cache, quando entra num site pela primeira vez ele demora mais algum tempo a abrir do que nas visitas seguintes?

O seu browser guarda cache e é ele que faz com que o tempo de abertura do site diminua à segunda e próximas vezes que o abrir.

Isto acontece porque a cache do browser guarda a estrutura básica das páginas de internet, assim como, as imagens de fundo, links e outros dados das páginas que visitou mais recentemente e das que visita mais vezes. A cache poupa tempo e poupa trafego de internet, no entanto para consultar alterações numa página web, é necessário limpar a cache para evitar ver uma página “pré-gravada” pelo browser com informações que podem já não corresponder à mais recente versão do website.

 

Quando limpar a sua cache vai reparar que algumas das páginas que anteriormente abriam em menos de um segundo, depois desta limpeza demoram o dobro ou o triplo do tempo. 

No seu computador, e ligado a uma rede Wi-fi, é possível que os tempos sejam muito semelhantes e não note uma grande diferença. 

Para poder testar comigo os tempos de abertura de páginas em cache e sem cache, pegue no seu smartphone, ligue-se à rede de dados móveis (3G ou 4G - de preferência no local mais isolado do Alentejo) e abra uma das suas páginas favoritas. Posteriormente, conte os segundos que ela demora abrir, e depois da limpeza da cache repita o processo. No final deste teste compare o tempo decorrido.

Atenção que a cache do browser não é o mesmo que o histórico do browser. Ao eliminar a sua cache não elimina obrigatoriamente o seu histórico de navegação.

Mas se ganhamos em tempo, perdemos em espaço. Nos dispositivos móveis como smartphones e tablets, este espaço é fundamental para a instalação de app’s ou para guardar fotografias e videos da nossa câmera.

 

Então e como é que se limpa a cache?

De forma diferente em cada sistema operativo, em cada equipamento e em cada browser! Por isso vou explicar-lhe como deve proceder seja qual for o seu equipamento: Computador, Tablet ou Smartphone; seja qual for o seu o sistema operativo: Mac os X, Windows, Linux, Android ou iOS; seja qual for o seu browser : Explorer/Edge, Chrome, Safari, Firefox ou Opera.

 

 

 

Limpar a cache no Edge / Internet Explorer (windows)

  1. Abra o Edge.
  2. No teclado pressione simultaneamente as teclas: Ctrl + Shift + Del
  3. Na janela de configurações que surgiu à direita deverá selecionar “Dados e arquivos armazenados em cache”.
  4. Por fim clique em “Limpar”.
  5. Reinicie o Edge.

ATENÇÃO: Elimine apenas os dados de navegação que pretende eliminar para não perder outros dados que necessite no futuro, como por exemplo palavras passe guardadas no seu browser ou o seu histórico de páginas visitadas.

 

 

 

Limpar a cache no Chrome (windows)

  1. Abra o Google Chrome.
  2. No canto superior direito clique no símbolo semelhante às reticências (alinhadas verticalmente).
  3. Selecione “Mais Ferramentas” e de seguida "Limpar Dados de Navegação".
  4. Na janela que se abriu no seu monitor pode definir o intervalo de tempo e quais os dados que deseja apagar.

Limpar a cache no chrome - windows

ATENÇÃO: Elimine apenas os dados de navegação que pretende eliminar, para não perder outros dados que necessite no futuro, como por exemplo, palavras passe guardadas no seu browser ou o seu histórico de páginas visitadas.

 

Limpar a cache no Chrome (mac os x)

  1. Abra o Google Chrome.
  2. No canto superior direito clique no símbolo semelhante às reticências (alinhadas verticalmente).
  3. Selecione “Mais Ferramentas” e de seguida “Limpar Dados de Navegação.
  4. Na janela que se abriu no seu monitor pode definir o intervalo de tempo e quais os dados que deseja apagar.

ATENÇÃO: Elimine apenas os dados de navegação que pretende eliminar, para não perder outros dados que necessite no futuro, como por exemplo palavras passe guardadas no seu browser ou o seu histórico de páginas visitadas.

 

 

 

Limpar a cache no Safari (windows)

  1. Abra o Safari.
  2. No canto superior direito clique no símbolo “Roda de engrenagem”.
  3. Clique em “Preferências”.
  4. No topo da janela que abriu, escolha o separador “Privacidade”.
  5. Abaixo clique no botão “Remover todos os dados dos sites…”.
  6. Irá aparecer uma janela para confirmação da limpeza da cache onde deve clicar em “Remover agora”.

 

Limpar a cache no Safari (mac os x)

  1. Abra o Safari.
  2. Clique em “Safari” e de seguida clique em “Preferências” (como a imagem abaixo apresenta).
  3. Limpar a cache no safari - mac os x
  4. No topo da janela que abriu, escolha o separador “Privacidade” (como a imagem abaixo apresenta).
  5. Abaixo clique no botão “Gerir dados dos sites…” (como a imagem abaixo apresenta).
  6. Limpar a cache no safari - mac os x
  7. Clique no botão “Remover tudo”.
  8. Irá aparecer uma janela para confirmação da limpeza da cache onde deve clicar em “Remover agora” (como a imagem abaixo apresenta).
  9. Limpar a cache no safari - mac os x
  10. Agora já eliminou a cache do seu browser safari. Para ter a certeza que limpeza foi completa deverá aparecer-lhe a seguinte mensagem “Não há dados de sites guardados” (como a imagem abaixo apresenta).
  11. Limpar a cache no safari - mac os x
 

 

 

Limpar a cache no Firefox (windows)

  1. Abra o Firefox.
  2. No canto superior direito clique no símbolo se assemelha a quatro livros encostados na estante (como a imagem abaixo apresenta).
  3. Clique em “Histórico”.
  4. Limpar a cache no firefox - windows
  5. Clique em “Limpar histórico recente…" (como a imagem abaixo apresenta)
  6. Limpar a cache no firefox - windows
  7. Selecione o intervalo de tempo que deseja eliminar na primeira caixa de seleção.
  8. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a opção: “Cache”.
  9. Por fim clique no botão “Limpar agora”.

 

Limpar a cache no Firefox (mac os x)

  1. Abra o Firefox.
  2. No canto superior direito clique no símbolo se assemelha a quatro livros encostados na estante (como a imagem abaixo apresenta).
  3. Clique em “Histórico”.
  4. Limpar a cache no firefox - mac os x
  5. Clique em “Limpar histórico recente…" (como a imagem abaixo apresenta)
  6. Limpar a cache no firefox - mac os x
  7. Selecione o intervalo de tempo que deseja eliminar na primeira caixa de seleção.
  8. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a opção: “Cache” (como a imagem abaixo apresenta).
  9. Limpar a cache no firefox - mac os x
  10. Por fim clique no botão azul “Limpar agora”.
 

 

 

Limpar a cache no Opera (windows)

  1. Abra o Opera.
  2. Clique no “Menu Opera” no canto superior esquerdo.
  3. Clique em definições.
  4. Clique em “Privacidade e Segurança”.
  5. Por baixo de Privacidade clique em “Limpar Dados de Navegação”.
  6. Selecione o intervalo de tempo que deseja eliminar.
  7. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a última opção: “Imagens e ficheiros em cache”.
  8. Por fim toque no canto inferior direito em “Limpar Dados”.

 

Limpar a cache no Opera (mac os x)

  1. Abra o Opera.
  2. Na barra superior clique em “Histórico” e de seguida clique na última opção “Mostrar Todo o Histórico" (como a imagem abaixo apresenta).
  3. Limpar a cache no opera - mac os x
  4. Ao aparecer o seu histórico de navegação clique no botão “Limpar dados de navegação” à direita (como a imagem abaixo apresenta).
  5. Limpar a cache no opera - mac os x
  6. Selecione o intervalo de tempo que deseja eliminar.
  7. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a última opção: “Imagens e ficheiros em cache”.
  8. Por fim toque no canto inferior direito em “Limpar Dados”.
 

 

 

Limpar a cache no Linux - Debian

- Basta executar os comandos a seguir:

  1. sudo sync
  2. sudo echo 3 > /proc/sys/vm/drop_caches

O comando sync faz com que toda a cache do sistema que está temporariamente armazenado na memória cache, seja guardado em disco e depois eliminado, prevenindo assim que tenha perda de dados.

 

 

 

Limpar a cache no Ubuntu

- Para limpar a cache em Ubuntu abra a linha de comandos linux e digite o comando: sudo apt-get clean

- Para fazer um flush à cache local do Ubuntu digite na linha de comandos: sudo apt-get autoclean

 

 

 

Limpar a cache das várias app’s no sistema Android

  1. Abra a app do seu sistema android que se chama “Configurações” (ou “Configurar” nalgumas versões android mais antigas).
  2. Selecione a opção “Armazenamento”.
  3. Aguarde até que a lista de app’s e respetivos tamanhos e pesos sejam calculados e exibidos no seu ecrã.
  4. Toque em “Dados em Cache” ou “Limpeza do Armazenamento”.
  5. Toque em “Ok” para confirmar a limpeza dos dados. 

 

Limpar a cache na app Chrome (Android)

  1. Abra a aplicação Chrome no seu smartphone ou tablet android.
  2. No canto superior direito toque no símbolo semelhante às reticências (alinhadas verticalmente).
  3. Toque em “Histórico" (vai aparecer o seu histórico de páginas visitadas).
  4. Toque em “Limpar dados de Navegação”.
  5. Selecione o intervalo de tempo que deseja eliminar.
  6. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a última opção: “Imagens e arquivos armazenados em cache”.
  7. Por fim toque no canto inferior direito em “Limpar Dados”.
 

 

 

Limpar a cache na app Chrome (iPhone e iPad [iOS])

  1. Abra a aplicação Chrome no seu iPhone ou iPad.
  2. No canto inferior direito ( ou no superior direito nas versões mais antigas), toque no símbolo semelhante às reticências (alinhadas verticalmente).
  3. Toque em “Histórico" (vai aparecer o seu histórico de páginas visitadas).
  4. Toque em “Limpar dados de Navegação”.
  5. Se deseja apenas eliminar a memória cache certifique-se que seleciona apenas a opção: “Imagens e arquivos armazenados em cache”.
  6. Por fim toque no canto inferior direito em “Limpar Dados”.

 

Limpar a cache na app Safari (iPhone, iPad e iPod touch [iOS])

  1. Abra o Safari no seu equipamento.
  2. Aceda a “Definições" e de seguida selecione “Safari”.
  3. Selecione a opção “Avançadas” e de seguida toque em “Dados dos sites”.
  4. Por fim toque em “Remover dados dos sites”.

 

Chegámos ao fim da limpeza da cache. Alerto para o facto de que em versões mais antigas e possivelmente em versões futuras de alguns browsers ou app's, a limpeza da cache seja feita de forma diferente da apresentada.

Preparado para o Futuro? dados estruturados
01 março, 2018

Preparado para o Futuro? dados estruturados

O Gato é um animal que admiramos, independente e muito curioso. Em contrapartida, o ser humano está a tornar-se cada vez mais dependente e menos curioso, na medida em que investiga cada vez menos e exige respostas em segundos. Este nosso comportamento está a provocar uma transformação profunda na sociedade, estamos cada vez mais dependentes do mundo digital.

Atualmente as dez maiores empresas do mundo têm algo em comum, são tecnológicas e empresas de dados

No imenso volume de dados, também designado por "Big Data", é um facto incontornável que toda a comunicação deverá ser estruturada e desenvolvida de acordo com o seu público-alvo. Os conteúdos deverão provocar interesse e curiosidade imediata, para assim, conseguirem passar a mensagem pretendida.

Cada conteúdo publicado na web é analisado detalhadamente pelos motores de pesquisa. O Google define e classifica o conteúdo e o seu público-alvo, ao nível da relevância, do comportamento, e até dos sentimentos de cada um dos utilizadores. Este é o principal motivo para que o resultado das suas pesquisas difira das apresentadas ao seu colega do lado.

O Google sabe "quase" tudo acerca de si, isto porque no futuro quer tornar-se o seu conselheiro pessoal e até o seu melhor amigo, através do fornecimento de serviços e informações úteis personalizadas.

 

O que são dados estruturados?

Imagine uma pintura abstrata numa parede. A acompanhar o quadro temos o titulo, titulo esse que provocará de imediato a associação ao que essa pintura representa. Podemos fazer a analogia desse título às denominadas "metadatas". Usando o exemplo, podemos ter metadatas para o autor da pintura, para o título, para a técnica utilizada, para a data de criação, para o estilo ou escola artística entre outras etiquetas. 

Estamos a falar de um conjunto de dados organizados por categorias e relevantes para a compreensão e contextualização da obra de arte apresentada. A pintura mantém-se abstrata mas temos informação sobre ela. A este conjunto de "metadatas" chamamos de dados estruturados.

Atualmente, a existência de conteúdo bem redigido, interessante e relevante já não é suficiente. É fundamental que esse conteúdo comunique de forma eficiente com os motores de pesquisa. Só assim, merecerá visibilidade, sendo fundamental o papel dos dados estruturados.

Os dados estruturados são cada vez mais importantes para a visibilidade dos conteúdos: o Facebook necessita de metadatas, o Google necessita de metadatas, a SIRI necessita de metadatas, etc. A internet atingiu uma dimensão em que todos os processadores de conteúdos querem dados organizados e estruturados para serem consumidos com ordem e relevância.

Ao falarmos em Internet das coisas, temos que estar conscientes que existem cada vez mais equipamentos com capacidade para gerar dados, e partilhá-los pelos ambientes digitais, isto acontece através dos dados estruturados.

Para o Google: dados estruturados = dados com qualidade.

 

Os dados estruturados e a pesquisa por voz

A pesquisa de informações através dos assistentes de reconhecimento de voz continuam a evoluir e a afinarem-se progressivamente. Os dados estruturados são a "chave" para esta nova tendência de pesquisa que promete "dar que falar".

A importância de conteúdo otimizado é cada vez mais relevante para a tecnologia inerente à pesquisa por voz. É importante preparar os websites para funcionarem com as principais soluções Google AssistantSiri (Apple), Cortana (Microsoft) e Alexa (Amazon) de acordo com as práticas recomendadas.

 

Todas as soluções lowcost produzem resultados lowcost

A implementação de dados estruturados é apenas uma das muitas boas práticas de otimização a seguir, de um momento para o outro, no Marketing Digital, "todos" têm uma solução milagrosa. 

A utilização de plataformas que não cumprem minimamente as boas práticas de otimização, associadas a uma ausência total de estratégia digital, são comuns em grandes marcas e até em instituições públicas amplamente reconhecidas. Nem sempre as escolhas por este tipo de plataformas recaem no fator preço (lowcost), muitas vezes (na maioria) são por questões de "facilitismo", na medida em que estas plataformas quase não necessitam de recursos (não necessitam de equipa de desenvolvimento).

Na Bluesoft para além dos dados estruturados, implementamos todas as boas práticas de otimização que são conhecidas. Por esse motivo não utilizamos plataformas pré-feitas baseadas em templates, fazemos desenvolvimento tecnológico à medida, suportado por uma estratégia digital, que tem como objetivo a obtenção de resultados por parte do nosso cliente.

Na Bluesoft trabalhamos sempre para atingir os melhores resultados no digital!

A Era do Mobile-First
08 fevereiro, 2018

A Era do Mobile-First

Já não é novidade para ninguém que os smartphones e os tablets mudaram a forma como os utilizadores se relacionam com a web.

Pela primeira vez, a utilização de dispositivos móveis disparou ao ponto de as pesquisas efetuadas no Google em mobile ultrapassarem as realizadas em desktop (computadores). A Google, evidentemente, não ficou alheia a este marco histórico e cedo anunciou que passará a basear os seus critérios de indexação e posicionamento na versão mobile do site (smartphones e tablets) em detrimento da versão desktop, atualizando o algoritmo com o Mobile First Index.

O Mobile First Index tem como objetivo proporcionar uma melhor experiência do utilizador (UX - User Experience) em dispositivos móveis, que, presentemente, já representam 67% de todos os acessos à internet.

 

Qual é a grande mudança com o Mobile First Index?

Como a própria terminologia advinha, a atualização Mobile First Index significa que o Google passará a indexar e a posicionar os sites em função da experiência de utilização em ambiente mobile.

Atualmente, as páginas de um website são avaliadas e posicionadas pela sua versão desktop – pese embora que nos resultados devolvidos em smartphones, seja exibida a versão mobile da página. De futuro, o Google passará a rastrear os websites pela versão mobile dos mesmos.

Para ter uma boa classificação e posição nos resultados devolvidos para as pesquisas realizadas no Google será incontornável, no futuro, contar com um site, blog ou loja online “amigável” à navegação e que detenha uma excelente performance em mobile. Contudo, ainda poliferam websites que, por não serem responsive, verão o seu posicionamento severamente penalizado pelo Google.

 

Experiência do utilizador (UX)

Hoje, e doravante, um dos pré-requisitos para estar conforme os critérios do Google é apresentar um website responsive (um site que se adapte aos diferentes dispositivos) e com um design apelativo e funcional, otimizado tanto para mobile como para desktop

 

É importante que cumpra o seguinte:

Mobile Friendly – que apresente um layout responsive adaptado a qualquer dispositivo. Sabia que 67% dos utilizadores consideram mais provável comprar num site mobile-friendy? 

Accelerated Mobile Pages (AMP) – que o carregamento da página seja instantâneo. Sabia que 53% dos utilizadores abandona uma página mobile se demorar mais do que 3 segundos para carregar?

Flexible texts and images – que o conteúdo (textual ou gráfico) seja flexível e esteja bem estruturado para ambas as versões (desktop e mobile).

Motores de Busca e SEO

Converter o utilizador em cliente é um dos objetivos mais relevantes para as marcas. Esta conversão é mais expressiva quando tem origem nos motores de busca, de onde provém a grande maioria dos visitantes a um website. Por isso, para que a presença das marcas seja forte na primeira página dos resultados devolvidos pelo Google para pesquisas por produtos, serviços ou soluções, ter uma tecnologia responsive é essencial.

Se o seu website já está adaptado para mobile, é um site responsive, a velocidade de carregamento de página é rápida (AMP) e alicerçou-se numa estratégia de SEO (Search Engine Otimization), não tem de se preocupar. Se já tem uma estratégia de SEO bem definida, um bom produto e um design eficaz, muito provavelmente não será surpreendido com uma penalização por parte do Google.

Os dispositivos móveis já fazem parte da nossa rotina, proporcionando maior rapidez e fluidez no dia-a-dia. Como observámos, o mobile-first é um fator determinante no processo de avaliação e de atribuição das ambicionadas posições cimeiras por parte dos motores de busca.

 

O seu site não está preparado para a nova mudança da Google? Não se preocupe!

Numa sociedade em que todos estamos conectados é imperativo ter sucesso no digital.

Na Bluesoft adaptamo-nos à realidade e encontramos soluções para os nossos clientes. Assim sendo, estamos prontos para a chegada da "Era do Mobile-First". Desenvolvemos websites em tecnologia responsive, orientados aos motores de pesquisa (SEO) e delineamos estratégias para obter os melhores resultados no plano digital. Desenhamos e implementamos websites friendly adaptados a quaisquer dispositivos.